Arquivo de outubro, 2010

Perdão divino

Publicado: 31/10/2010 em Estudos Bíblicos
Tags:

Bom dia povo de Deus! E aí, você já votou? Dia de eleições é um dia sempre de decisão e é neste ponto que desejo compartilhar com vocês um texto do livro de Isaías. Não de eleição, mas de decisão! A nossa vida é feita de escolhas. A palavra “feita” não significa necessariamente criada, pois Deus foi que criou as nossas vidas, mas nossas decisões de hoje determinarão o nosso amanhã. De tal maneira, você decidiu ler este post hoje porque ele trará benefícios para sua vida amanhã. O texto que iremos estudar será:

Isaías 1:16-20

“…Tirai a maldade dos vossos atos de diante dos meus olhos! Cessai de fazer o mal, e aprendei a fazer o bem! Praticai o que é reto, ajudai o oprimido. Fazei justiça ao órfão, tratai da causa das viúvas. Vinde então, e arqui-me, diz o Senhor: Ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã. Se quiserdes, e me ouvirdes, comereis o bem desta terra. Mas se recusardes, e fordes rebeldes, sereis devorados à espada. Porque a boca do Senhor o disse.”

Primeiramente, gostaria de realizar uma breve introdução. O primeiro capítulo de Isaias retrata imagens e situações de uma nação rebelde que apresentavam para Deus algo que agradassem em meio à multidão, porém pecadores ocultos. Poderia escolher diversos outros versículos como: “De que me serve a multidão dos vossos sacrifícios, diz o Senhor? Já estou farto dos holocaustos de carneiros, e da gordura de animais cevados;…” (Isaías 1:11a) ou “O incenso é para mim abominação,e  também as luas novas, os sábados, e a convocação das congregações; não posso suportar iniqüidade, nem o ajuntamento solene” (Isaias 1:13b), porém resolvi escolher a cura para todas as cidades que se encontram de tal modo. Mas antes de você ser curado, você precisa decidir!!

Confesso que quando li os versículos citados acima, veio logo em minha memória o seguinte: o sacrifício substituído em ir a igreja, ou seja, do que me serve você ir a igreja e quando sai dela continua cometendo os mesmos pecados e erros mesmo sabendo que são errados? Do que adianta, se não amemos mais o próximo, se não ajudemos um ao outro, se não socorremos aqueles que precisam de socorro? Tudo isto depende da sua decisão…

“Se quiserdes, e me ouvirdes, comereis o bem desta terra. Mas se recusardes, e fordes rebeldes, sereis devorados à espada. Porque a boca do Senhor o disse.” Para onde você está indo? Você, realmente, está correndo em vão? Quem nunca ouviu aquela frase: você colhe aquilo que você plantou! É isto que tal versículo quer nos apresentar. Sabemos que Deus tem o melhor para nossas vidas, então qual o motivo de não pararmos antes de tomar certas decisões para ouvir a sua voz? O que nos faz agirmos antes de pensar? A vida de Deus está dentro de nós, tudo que precisamos fazer é parar um pouco, olharmos para nós mesmos e percebermos que existe um Pai que nos ama e quer o nosso melhor acima de todas as coisas! Deus cumprirá o desejo do nosso coração se o buscarmos, ouvirmos a sua voz e obedecermos, tenhamos certeza que estaremos caminhando para o melhor que pode existir!

Mas o que tem a ver como o título deste post? Rodei tudo isto para que você possa perceber um pouco a importância de cada decisão, por mais simples que ela seja, ela será fundamental para decidir o seu futuro. Através da decisão o pecado foi originado por Adão, então eu creio que através da decisão o pecado será curado por você!

“…Tirai a maldade dos vossos atos de diante dos meus olhos! Cessai de fazer o mal, e aprendei a fazer o bem! Praticai o que é reto, ajudai o oprimido. Fazei justiça ao órfão, tratai da causa das viúvas. Vinde então, e arqui-me, dia o Senhor: Ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.” Tirar, cessar de fazer, praticar, ajudar, fazer… Todos estes verbos estão escritos no versículo acima e você os praticam se decidirem praticar.

Mais uma vez, as nossas vidas estão sendo chamadas para a prática do evangelho. Chega de apenas conhecermos de ouvir falar, está na hora de vivenciá-lo. Uma coisa é você saber o que é correto, outra coisa é você sentir que é correto. Quantas vezes temos sidos maltratados por decisões erradas, por termos pecados somos apedrejados dentro de nossas próprias igrejas, até mesmo por nossos familiares, e acabamos sendo excluídos. Por que vivemos essa hipocrisia de querermos ser melhor do que o próximo. [Obs.: Não estou defendendo o pecado, estou defendendo o pecador, pois da mesma forma que sou filho de Deus, ele também é! E não me excluo da lista de pecadores]

A chamada ao Evangelho é quando você observa alguém caído e estende sua mão para levantá-lo. É suportar o próximo. A bíblia diz que devemos suportar uns aos outros. Não é um “suportar” de agüentar, mas esta palavra significa “dar suporto”. É você está abaixo dela, quando ela não tiver mais forças para continuar a caminhada, você vai estar abaixo para que ela não caia, incentivando-a que vale a pena continuar.

Não existe pecado que possa impedir de praticar o bem. É possível dar a volta por cima e ajudar o próximo. Não sei se você é cheio(a) de traumas do seu passado por conta de pecados, mas não desista daquilo que Deus colocou em seu coração! Pois a Graça de Deus te basta e o Seu poder se aperfeiçoa na sua fraqueza nesta hora (2 Coríntios 12:9). Não sei como você se encontra, mas você será usado através da sua fraqueza para levantar muitas vidas que estão caídas. Sejam exemplos do reino dos céus nesta terra. Praticando o que é reto, ajudando o oprimido, fazendo justiça ao órfão, tratando da causa das viúvas. Esta é a chamada do Evangelho!!

Vinde então, e arqui-me, diz o Senhor: Ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.

Devemos aprender a chorar com os que choram, sofrer com os que sofrem,… se não temos nada disto em nossas vidas, o que temos em semelhança com Cristo então? Porque o espírito do Senhor estar sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, aos quebrantados de coração curar. Se não estamos vivendo de modo que a cura do Senhor esteja sendo revelada em nós, por que então estamos vivendo?

Quando realizamos as atitudes descritas nos versículos, estaremos profetizando a cura sobre todos que nos rodeiam e sendo curados. Você só dar aquilo que você tem. Se você cura, é porque você está curado! Deste modo, o perdão divino será derramado nesta geração, independente do tamanho do pecado ou de quantidade de pecados. Veremos a pessoas sendo curadas! Viveremos para servir, assim como Jesus Cristo veio a terra.

A minha oração neste momento é que os nossos corações estejam quebrados diante da causa que o Senhor nos propôs e voltemos ao real sentindo do Evangelho!

“Amar a Deus sobre todas as coisas e amar ao próximo como a ti mesmo”

Paz sejam com todos vocês e Vitórias em Cristo Jesus,

Por Marcus Queiroz (Líder e Presidente Jorae)

 

Para onde estou indo?

Publicado: 29/10/2010 em Estudos Bíblicos

Aew Família JORAE… como vai a galera? Tudo em cima? Sim claro, porque não? Agora a postagem de hoje será um breve resumo da nossa reunião que acabou há 2 horas atrás!

O tema da nossa reunião foi este que está no título: “Para onde você está indo?” sendo a palavra ministrada pelo Filemon (Líder Jorae). Porém antes da palavra foi passado um vídeo que deixarei com vocês.

Durante o período da ministração houve participação de algumas pessoas presentes destacando a sua opinião sobre os “porques”. Por que você jejua? Por que você ora? Por que você ler a bíblia? Por que você vai à igreja?

Tudo em nossa vida deveria ser traçado metas para serem alcançadas e que nossas decisões nos levassem até as mesmas. O grande problema é que algumas vezes não temos metas. E agora? Vamos dar um exemplo: Se a minha meta é fazer um regime. Seria bem claro que minha alimentação seria balanceada. Haveria o time das comidas que poderia comer e das que não poderia comer. Porém se não houvesse meta neste ponto, iria comer tudo que viria pela frente. Gerando náuseas e incômodos. Em nossa vida, quando não se tem uma meta não se sabe ao certo se estamos errando ou acertando, pois a palavra pecado vem do original grego que significa “errar o alvo”. Só que como errar o alvo se não se um alvo definido?  Este foi o primeiro ponto destacado pelo Filemon.

O segundo ponto foi justamente as interrogações colocadas acima. Qual a sua meta de orar, jejuar, ler a bíblia, ir a igreja, entre outros… Você poderia responder tais perguntas? A resposta é que tudo gira em torno do nosso relacionamento com Deus e com os nossos irmãos em Cristo. Sabendo que o meu relacionamento com meu irmão é reflexo do meu relacionamento com Deus. Pois é impossível não estar perto de Deus e os frutos do Espírito Santo não serem gerados em nós!

Quando você jejua, não é para se sentir melhor do que os outros e sair dizendo que “eu jejuei dia tal, tantas horas”. É com o jejum que podemos ver o quanto somos limitados, pois começamos a ficar fracos pela falta do alimento e com isto passamos a valorizar a fome do próximo, passamos a valorizar o pão de cada dia em nossas residências. Quando você ler a bíblia, não é para obter conhecimento da palavra de Deus, porque se for só para isto, aconselho você a ler outro livro. Mas que seja para conhecer a Deus. Como você vai se relacionar com um ser que você não conhece? Quando você ora, não é porque Deus precisa das suas orações, até porque Deus existia antes de mim e de você, mas é para conversarmos com o Pai que nos escuta do mais altos céus. Quando você vai a igreja, não é simplesmente um ritual, mas para nos relacionarmos uns com os outros gerando cura e libertação, colocando em prática os frutos do Espírito Santo.

Pensem nisto… Um breve resumo para que vocês possam aproveitar um pouco do que debatemos em nossas reuniões que nos levam a um crescimento espiritual e no relacionamento com o Pai!!

Vitórias em Cristo Jesus,

Por Marcus Queiroz (Líder e Presidente Jorae)

Eu te amo…

Publicado: 27/10/2010 em Estudos Bíblicos
Tags:

Paz povo de Deus… vamos lá, mais uma postagem diretamente do coração de Deus ao seu coração. Pelo tema vocês podem estar pensando que é sobre relacionamento. Pois é, quem pensou já acertou. Só que é um relacionamento entre o Pai, Deus,  comigo e você. Entendeu? Manter um relacionamento com um ser que você não ver, parece loucura, porém Deus é muito mais real do que podemos imaginar.

Costumo assistir os DVDs do Hillsong United. Gosto muito de suas músicas, mas algo que me surpreendeu não foram apenas as letras das canções, mas as inúmeras vezes que eles declaram a Deus: EU TE AMO…

Ao perceber isto, refleti quantas vezes já disse a Deus esta frase, pensei até mesmo em minhas orações secretas com o Pai e dificilmente elevei minha voz declarando o meu amor por Ele de tal modo. Será que esta frase por ter perdido valor para diversas pessoas no mundo, elas também perderam valor para nós e Deus? Não podemos seguir os mesmos padrões impostos por todo mundo. Bem sabemos que palavras iludem e atitudes provam, mas a boca fala daquilo que o coração está cheio.

Se não consegue viver dizendo para Deus no seu dia a dia: Eu te amo, pois que viva de atitudes. O nosso amor deve refletir das palavras para as mãos, para os pés, para os olhos, para os gestos em geral, ou seja, o nosso EU TE AMO muito mais do que falado tem que ser vivido. De Deus não se zomba e não adianta falar e não obedecer. Lembrem-se que Obedecer é muito melhor do que Sacrificar!

1 João 3: 16

“Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós. E devemos dar a nossa vida pelo irmão”

Impossível dar a vida pelo irmão apenas por palavras, o AMOR só será reconhecido por atitudes! Por isto igreja, amem verdadeiramente a Deus!! Será muito melhor a máscara cair e o pecado ser curado através das orações do que permanecer fingindo amar a Deus realizando as mesmas obras da carne. Não se iluda!! Deus te chama para uma transformação que só Ele pode fazer em sua vida.

Aí mesmo onde você está. Seja em casa, no trabalho, na casa do amigo ou parente, na Lan House, Deus quer mudar a sua vida assim como Ele mudou a minha. Experimente esse novo modo de viver, não espere deixar de errar, para depois aceitar caminhar com Cristo. A palavra de Deus é bem clara quando diz: “Vinde como estais…” Deus te aceita da forma que você estar, mas não te deixará do mesmo jeito.

Precisamos ter ouvidos sensíveis para ouvi-Lo assim como uma ovelha reconhece a voz do pastor. Quando Deus falar, não endureçais os vossos corações. Não perca esta oportunidade!!

Se você é a primeira vez que faz isto. Então ore assim: “Senhor Jesus, eu arrependido volto para o lugar de onde nunca deveria ter saído, os Teus braços. Sou pecador, mas aceita-me mesmo assim. Apaga todas as minhas falhas, todos os meus pecados. Escreve o meu nome no livro da vida. Fica comigo Pai, pois sem Ti não conseguirei viver e nem prosseguir. EU TE AMO mais do que tudo e, a partir de hoje, desejo que minha vida seja um reflexo do Teu amor para esta geração. No nome de Jesus. Amém”

Seja bem-vindo(a) a família de Deus e a família Jorae!!

Vitórias em Cristo Jesus,

Por Marcus Queiroz (Líder e Presidente Jorae)

 

 

Tudo vai passar

Publicado: 24/10/2010 em Estudos Bíblicos

Essa história é antiga, mas tem um fundamento muito importante. Leiam com atenção e extraia o melhor que ela pode oferecer!!

Conta-se de um rei bondoso e sábio que se encontrava no final de sua vida. Um dia, pressentindo a chegada da morte, chamou seu único filho, tirou do dedo um anel e deu-lhe dizendo: “Quando fores rei, leve sempre contigo este anel. Nele está uma inscrição. Quando passares por momentos difíceis ou de glórias, retire o anel e leia o que nele está escrito.”

O velho sábio rei morreu, e seu filho passou a reinar em seu lugar, sempre usando o anel que seu pai lhe dera. Passado algum tempo, surgiram conflitos com o reino vizinho que culminaram numa grande guerra.

com o reino vizinho que culminaram numa grande guerra.

E num momento de grande angústia no aceso das batalhas, vendo mortos e muitos feridos caídos em meio ao rio de sangue, lembrou-se do anel, tirou-o e leu a inscrição: “Isto também passará.” E continuou a lutar com seu valente exército. Perdeu batalhas, venceu outras tantas, mas, ao final, saiu vitorioso.

Ao retornar para seu reino, entrou coberto dos lauréis da conquista e coroado de glórias, sendo aclamado por todos como o maior dos heróis. Nesse momento, ele se lembrou de seu velho e querido pai. Tirou o anel e novamente leu: “Isto também passará.”

Como é importante administrar com sabedoria os momentos de dor e os momentos de glória. No furor dos embates da vida é primordial ter a certeza que a nossa tribulação é leve e momentânea, isto é, não dura para sempre.

Pense nisto…

Por Marcus Queiroz (Líder e Presidente Jorae)

A saída de cima do muro

Publicado: 22/10/2010 em Estudos Bíblicos

Jeremias 3: 1

“Se um homem repudiar sua mulher, e ela o deixar e tomar outro marido, porventura aquele tornará a ela? Não se poluiria por isso de todo aquela terra? Ora, tu te prostituíste com muitos amantes; mas ainda assim, torna para mim, diz o Senhor.”

A saída de cima do muro

O que eu poderia querer além de estar em paz com todos ao meu redor. Em paz com a família que Deus me deu, com a quantidade de amigos que possuo e que gostam de mim ou pelo menos me tolera, e que desconheço qualquer inimizade. Que estou em paz em relação ao meu futuro, às minhas expectativas. Ter alguém para amar e compartilhar o que penso, o que sinto e sentir que essa pessoa me ama. E para completar, estar em paz com Deus. Mas será que está tudo beleza mesmo. Será que as boas relações que estou tendo é um reflexo da relação que tenho com Deus? Será que está havendo crescimento espiritual com quem esta ao meu redor? Será que as boas relações que estou tendo prejudica um relacionamento profundo com Deus, estagna o meu crescimento espiritual que deveria ser de glória em glória?

Quando Deus falou pela primeira vez com Jeremias, Ele disse: “Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e antes que saísses da madre, te consagrei e te constituí profeta às nações” (Jr 1: 5) Buscar e estar na presença de Deus é ir descobrindo fragmentos da complexidade de quem realmente somos e o propósito e as expectativas que Deus tem para nós. É muito complicado forjar relacionamentos, principalmente a aproximação, pois requer da pessoa superar o seu maior medo que é ser rejeitado. Muitas vezes nos moldamos para nos aproximarmos melhor dos outros, colocamos máscaras para evitar que nos rejeitem. E assim temos sucesso, nos enchemos de amigos e assim não temos necessidade de saber quem verdadeiramente somos, se bem que poucos estam interessados em saber. Uma relação profunda com Deus talvez não seja interessante, pois pode nos revelar características nossas que nos fará ser rejeitados pelos outros. E assim vamos, às vezes, inconscientemente nos sacrificando em nome da paz conosco e com outros. Criamos os nossos ídolos: a nossa família, os nossos amigos, namorados, paqueras, trabalho, hobbyes e qualquer outro que nos dê a paz.

“Houve alguma nação que trocasse os seus deuses, posto que não eram deuses? Todavia o meu povo trocou a sua Glória por aquilo que é de nenhum proveito. Espantai-vos disto, ó céus, e horrorizai-vos! Ficai estupefatos, diz o Senhor. Porque dois males cometeu o meu povo: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas ” (Jr 2: 11-13) Esse mal chega a ser inconcebível, mas é a loucura que praticamos. Conhecemos as grandes e indescritíveis bênçãos para quem busca o Senhor, mas trocamos essa busca pela pacata vida que vivemos. Uma vida que dá grandes oportunidades para o mal adentrar e que passa a ser tão insosa que não atrai os de fora. Deus é ciumento e se não nos atrai pelo amor nos chama pela dor, e isso já é conhecido.

“Disse mais o Senhor nos dias do rei Josias: Viste o que fez a pérfida Israel? Foi a todo monte alto, e debaixo de toda árvore frondosa, e se deu ali toda prostituição. E, depois de ela ter feito tudo isso, eu pensei que ela voltaria para mim, mas não voltou. A sua pérfida irmã Judá viu isto. Quando por causa de tudo isto, por ter cometido adultério, eu despedi a pérfida Israel e lhe dei carta de divórcio, vi que a falsa Judá, sua irmã, não temeu; mas ela mesmo se foi e se deu à prostituição. Sucedeu que pelo ruidoso da sua prostituição poluiu ela a terra; porque adulterou com a pedra e com o pau. Apesar de tudo isso, não voltou de todo o coração para mim a sua falsa irmã Judá, mas fingidamente, diz o Senhor. Disse-me o Senhor: Já a pérfida Israel se mostrou mais justa do que a falsa Judá”. (Jr 3: 6-11)

O mundo, como Israel, busca saciar seus desejos e dar um sentido a sua vida vazia, se prende a diversos ídolos como a família perfeita, incontáveis amigos, um bom casamento, muito dinheiro para desfrutar o melhor da “vida”; e para isso desprezam o Senhor e Ele dá a carta de divórcio. A igreja, como Judá, busca os mesmos desejos, mas os busca da mesma forma, desatrelando o Senhor da realização dos desejos do seu coração, e os buscando da mesma forma que o mundo. Entregando o coração às paixões de seu coração, a Igreja permanece com seu relacionamento fingido e superficial com o Senhor, para satisfazer seu desejo de ir para o céu, busca adorá-lo com sacrifícios, liturgias e fórmulas afins na tentativa de anular a graça e conquistar a salvação. E buscando novas liturgias e novas fórmulas, a Igreja vai tentando atrair o mundo para um relacionamento fingido e superficial perante o Senhor. Seria mais justo se a Igreja abandonasse os padrões do mundo e buscasse os padrões de Deus, e ensinar ao mundo como saciar os desejos de seu coração e como dar um sentido para a sua vida, ou não tememos receber a carta de divórcio?

Sabe e Entende: Jeremias 1, 2 e 3

Por Ferreira Junior (Líder Jorae)

A opção de amar a Deus

Publicado: 17/10/2010 em Sem categoria
Tags:

“Escolham hoje a quem irão servir…”

Quando a morte se aproximava, Josué lançou este desafio a Israel. Esperava que escolhessem Deus e se apegassem a essas escolha nos dias e anos que se seguiriam. Ele sabia bem que uma opção feita naquele dia não garantia necessariamente o futuro. Teria de ser repetida a cada dia ou não resistiria.

Os escritores e psicólogos cristãos Gary Samlley e Jonh Trent cunharam a expressão “o amor é uma decisão” ao escrever sobre casamento: “Contrariando a crença popular, o amor na verdade é o reflexo do quanto nós ‘honramos’ outra pessoa – pois, no fundo, o verdadeiro amor é uma decisão, não um sentimento”. Para que o amor no casamento sobreviva, marido e mulher precisam decidir amar e honrar um ao outro todos os dias, independentemente de como se sintam em relação ao outro em determinado momento. Esse conceito está expresso no tradicional voto “… para amar e respeitar na alegria e na tristeza, na saúde, na doença, na riqueza e na pobreza, até o fim da vida e até que a morte o separe”. Duas pessoas se compremetem – por opção – a amar uma à outra durante toda uma vida, não importam as circunstâncias.

Em seu casamento com Deus, os israelitas têm enfrentado uma variedade de situações nas quais precisam escolher entre servi-lo ou não. Raabe, embora não seja de origem israelita, escolhe Deus em detrimento do próprio povo. Os israelitas, na fronteira com a Terra Prometida, decidiram avançar para o leito do rio Jordão. E, em vez de reclamar para si a vitória, optaram por honrar a Deus depois da conquista de Jericó.

Um homem, no entanto, fez uma opção errada. Quando confrontado com bens sedutores deste mundo, Acã opta por eles em lugar de Deus. Não conseguiu resistir à tentação de tomar para si uma capa, prata e outro em vez de jogá-los no meio dos despojos de Jericó.

Várias vezes, tanto no Antigo quanto no novo Testamento, o Senhor se refere a seu povo e à Igreja cristã como a noiva de Cristo. Os crentes ingressaram em uma relação matrimonial com Deus. Assim como nos casamentos entre seres humanos, só conseguiremos fazer com que o compromisso perdure se optarmos por honrar ao Senhor todos os dias, não importa o que o sentimentos nos impulsionem a fazer. Permaneceremos fiés apenas se nosso amor for uma decisão.

A quem você vai amar hoje?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

Em sua relação de amor com Deus, que sentimentos você vem nutrindo atualmente por Ele? Converse com o Senhor a esse respeito. Ele conhece esses sentimentos, de modo que você pode usar de toda sinceridade. Opte por amá-lo hoje apesar dos sentimentos. Peça-lhe para ajudá-lo a cumprir com esse objetivo.

Fonte: Extraído do Livro “A Bíblia, minha companheira” escrito por Brenda Quinn

Por Marcus Queiroz (Líder e Presidente Jorae)


Uma filha se queixou ao pai sobre sua vida e de como as coisas estavam difíceis para ela.

Ela já não sabia mais o que fazer e queria desistir. Estava cansada de lutar. Parecia que assim que um problema estava resolvido, outro surgia. Seu pai levou-a até a cozinha, encheu três panelas com água e colocou cada uma em fogo alto. Logo, as panelas começaram a ferver.

Em uma ele colocou cenouras, em outra colocou ovos e, na última, pó de café. Deixou que tudo fervesse, sem dizer uma palavra. A filha esperou impacientemente, imaginando o que ele estaria fazendo. Cerca de vinte minutos depois, ele apagou o gás. Pescou as cenouras e as colocou em uma tigela. Retirou os ovos e, então, pegou o café.

Virando-se para ela, perguntou: “O que você está vendo?”

“Cenouras, ovos e café”, respondeu.

Ele pediu para que ela experimentasse as cenouras. Ela notou que as cenouras estavam macias. Ele, então, pediu-lhe que pegasse o ovo e o quebrasse. Ela obedeceu e, depois de retirar a casca, verificou que o ovo endurecera com a fervura.

Finalmente, ele lhe pediu que tomasse um gole do café. Ela sorriu ao provar seu aroma delicioso e perguntou: “O que isto significa, pai?” Ele explicou que cada um deles havia enfrentado a mesma adversidade, a água fervendo, mas que cada um reagira de maneira diferente.

A cenoura entrara forte, firme e inflexível. Mas, depois de ter sido submetida à água fervendo, amolecera e se tornara frágil.

Os ovos eram frágeis. Sua casca fina havia protegido o líquido interior, mas depois de terem sido colocados na água fervendo, seu interior se tornou mais rijo.

O pó de café, contudo, era incomparável. Depois de colocado na água fervente, havia mudado a água.

“Qual deles é você, minha filha?” Perguntou o pai.

Quando a adversidade bate a sua porta, como você responde? Você é uma cenoura, um ovo ou pó de café?

Você é como a cenoura, que parece forte, mas com a dor e a adversidade murcha, se torna frágil e perde suas forças? Ou como o ovo, que começa com um coração maleável, mas depois de alguma dificuldade se torna mais difícil e duro? Ou será que você é como o pó de café? Ele muda a água fervente, a coisa que está trazendo a dor, para conseguir extrair dela o máximo de seu sabor. Quanto mais quente estiver a água, mais gostoso se torna o café. Quando as coisas se tornam piores, você se torna melhor e faz com que tudo em torno de você também melhore.

Como você lida com a adversidade?

Pense Nisto…

Por Marcus Queiroz (Líder e Presidente Jorae)